Namoro ou obsessão?

*Andreza Buzaid

Namoro com base na tranquilidade, confiança, sem estresse. Essa descrição pode ser para mais tarde, mas para os mais jovens a paixão vira uma bomba-relógio e as emoções seguem no mesmo ritmo dos hormônios: malucas. Mas, tenha calma, pois o incontrolável ciúme, a insegurança no relacionamento e o desejo de controle de todos os passos do outro, são características comuns em 99% dos jovens casais. No entanto, é importante perceber os limites e saber segurar o freio e procurar ajuda quando a forma de amar traz mais prejuízos e sofrimentos do que alegrias.

Um bom termômetro da situação é perceber se você vive mais em função do namoro do que para outros fatores importantes, como a família, amigos e escola. É como se o resto do mundo não existisse e sua função é apenas controlar o outro, sem se preocupar consigo mesmo.

Quer saber? Isso pode ser inconsciente e fruto da personalidade de cada um e de seu histórico emocional e, com certeza, muito desgastante a ponto de acabar com o relacionamento.

A dica é aumentar seu amor próprio, lembrando que só você é capaz de fazer as escolhas, não depende do outro. Confie em você, para acabar de vez com a sensação de ameaça o tempo todo. Reserve espaço para um papo com os amigos, para viajar, ir a baladas, praticar esporte e ver aquele show tão esperado. Aí sim, poderá estar completo para curtir o namoro sem obsessão.

*Andreza Buzaid é psicóloga, psicanalista, psicoterapeuta de adolescentes, adulto, casal e família.
Cultura & Lifestyle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *