Como começar o seu e-commerce?

Com a indecisão de qual profissão escolher para seguir sua vida, que tal empreender?

Os sites focados no e-commerce estão em alta e independente da idade, se você for criativo e pensar na venda de produtos que atendam alguma lacuna do mercado, é possível sim ter sucesso. Mas você sabe como funciona as vendas eletrônicas?

A relação entre vendedor e comprador exige que ambos estejam ligados às novidades. Uma parcela generosa desse processo, por exemplo, se deve ao surgimento da tecnologia. No pacote da invenção, a proposta da quebra de fronteiras foi mais do que o suficiente para conquistar comerciantes de todos os estilos e tipos de produtos. Foi assim que surgiu o e-commerce, uma das novas maneiras de conseguir renda em todo o mundo.

Pode parecer simples mais ainda existem algumas diferenças que é importante você saber antes de se aventurar no comércio eletrônico.

Se você já pesquisa sobre essa possibilidade deve ter se deparado com duas expressões – market place e e-commerce. Atenção, pois eles representam coisas diferentes.

Enquanto o market place engloba diversas marcas vendidas em um mesmo site. Já o e-commerce atua apenas com produtos de uma única empresa. Sendo assim, a entrada ao comércio virtual por e-commerces é dedicada a revendedores ou pelo próprio fabricante.

Depois que você estiver com essa diferenciação bem clara na mente, chegou a hora de iniciar a montagem do e-commerce que pode ser simples e rápida. A primeira parte representa a criação do site, onde os produtos serão expostos aos usuários. Para isso, será necessário pensar em itens decorativos, como templates a serem usados, paleta de cores e a plataforma que será utilizada. Dessa forma, o endereço eletrônico deve priorizar dois elementos principais: boa aparência e funcionalidade.

De maneira geral, uma das maiores dificuldades enfrentadas por esse tipo de comércio é a insegurança. Muitos internautas ainda temem ter o cartão clonado ou sofrer outro tipo de roubo, por exemplo, e isso faz com que muitas pessoas não acreditem nesse modelo. Por isso, priorizar a segurança do cliente é essencial para o sucesso do e-commerce, independente do produto.

Na situação de pagamento, onde esse sentimento é recorrente, o dono do site pode instalar programas antifraude, melhorando a blindagem do comprador. Alguns exemplos, citados pelo site Rock Content, são: ClearSale; Fcontrol; Cyber Source e C&M Software. Estes são utilizados para vendas diretas.

Com essas dicas aos empreendedores menores, a saída para evitar objeções que envolvem aplicativos que atuam de forma indireta. É o caso de funcionalidades como PagSeguro, PayPal, MercadoPago, entre outros.

Colunistas, Editorial, Hot News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *