Amizade na alegria e na depressão

*Andreza Buzaid

Tudo certo na escola, seu namorado cada vez mais apaixonado e viagem programada, mas nenhuma dessas boas notícias podem ser compartilhadas com a melhor amiga…que está deprimida. Então, a dúvida é sobre como ajudar quem sofre de uma doença mental, muitas vezes resumida indevidamente com um “está fazendo drama”. Mas, se o mau humor persiste, insônia, isolamento, vínculos com grupos, escola e com outros círculos sociais quebrados, ela pode estar, sim, com depressão, transtorno mental difícil, mas que pode ser tratado.

Então, se queria uma amiga para dividir as boas novas, mude o objetivo. É hora de procurá-la – a maioria das pessoas em crise de depressão não pede ajuda – para ouvir, sem determinar possíveis causas ou criticar. Sermões e brigas são ineficazes e inadequados. Só acolha, compreendendo os seus valores e respeitando o seu tempo. Sabe a única coisa que importa para ela? Sua presença, prestando atenção no que diz, acompanhando com paciência.

*Andreza Buzaid é psicóloga, psicanalista, psicoterapeuta de adolescentes, adulto, casal e família.

Estimule a busca de ajuda profissional e apoie o tratamento. Visite, telefone, convide para acompanhar em atividades diárias e físicas ou caminhada, passeio de bike, Ioga e etc. (exercícios liberam endorfina e dopamina, que estimulam o bem-estar, conforto, bom- humor e alegria. E lembre-se de estimular e elogiar cada passo – por menor que seja – de sair da cama ou de conseguir sorrir um pouco. O poder da amizade é incontestável: um santo remédio para qualquer doença.

Cultura & Lifestyle, Editorial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *